Gestação nos dias atuais

A gestação é um período de grandes transformações na vida da mulher, seja no aspecto físico ou emocional. As mudanças no corpo e o aumento de peso podem levar a dores, desconforto, restrição da mobilidade, apreensão quanto ao parto e pós-parto.

Uma das grandes vantagens de vivermos gestações e a criação de filhos nos dias atuais é podermos aproveitar todos os avanços e recursos da área da saúde, além de termos acesso a muita informação. Assim, podemos complementar o pré-natal, o parto e o pós-parto com tratamentos como a Fisioterapia Obstétrica, Hidroterapia, Terapias Manuais, Pilates e Acupuntura.

Elas atuam no alívio de incômodos, dores, edema, ansiedade, preparação e indução para o parto, mudança de posição do bebê no útero, recuperação pós-parto e até mesmo para que eventos naturais sejam mais tranquilos.

Todos esses recursos podem ser realizados em qualquer período da gestação, porém em cada semana existem protocolos de tratamento específicos para cada sintoma ou queixa. Nosso foco hoje será sobre os benefícios da Fisioterapia Obstétrica e da Acupuntura.

Apesar de ser uma técnica milenar muito conhecida, poucas gestantes sabem os reais benefícios da acupuntura durante e após a gravidez. Já nas primeiras semanas da gravidez, quando algumas mulheres podem sofrer pequenos descolamentos de placenta, o método pode ser empregado, pois pode prevenir que o problema progrida e resulte em um aborto espontâneo.

Ela auxilia na melhora de enjoos, oscilações emocionais, e principalmente no alívio das dores em geral sem uso de medicamentos. Controla o inchaço, alterações no sono e no funcionamento do intestino.

Uma das coisas que mais tiram o sono das futuras mamães que desejam um parto normal é quando o bebê fica sentado ou na transversal dentro da barriga. Existem protocolos específicos para aumentar a movimentação fetal e auxiliar nesse “encaixe”.

Além das agulhas, utilizamos outra técnica da medicina chinesa, que consiste na aplicação de calor em pontos específicos. Nesta situação o “timing” é tudo, quanto mais cedo se notar que o bebê precisa ser reposicionado, maiores as chances de sucesso.

O ideal é começar essa movimentação por volta da 34ª semana e no máximo até a 37ª semana. A prática também auxilia no estímulo ao início do trabalho de parto, ela pode amadurecer o colo do útero e induzir o início das contrações.

Já a fisioterapia obstétrica, sempre é uma boa opção de exercícios físicos. Consiste em exercícios globais para melhor percepção corporal através de alongamentos e fortalecimento muscular, correção postural e exercícios específicos para região pélvica.

Entre os benefícios da prática estão a melhora postural, da circulação sanguínea, redução do inchaço, prevenção da diástase, auxilia na preparação para o parto, recuperação do pós-parto e nas dores sexuais do pós-parto.

O ideal é que se inicie o tratamento após o primeiro trimestre, para melhor serem trabalhados os músculos do assoalho pélvico. Esta musculatura é responsável pela continência urinária e fecal e pela sustentação dos órgãos pélvicos, neste caso de sustentar o peso do bebê, e deve ser trabalhada independente da via de parto, inclusive prevenindo as incontinências urinária e fecal que podem vir a ocorrer ao longo da vida.

A Clínica SER oferece estes e outros serviços especializados para as gestantes desfrutarem da gestação com segurança e conforto.

19 de agosto de 2020

Rita Grubba

Compartilhe essa notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
2020-08-20T14:20:31-03:00
Ir ao Topo